quinta-feira, 18 de maio de 2006

O Mestre



(“o mundo está fora dos eixos. Oh! ... Maldita sorte! ... Porque nasci para colocá-lo em ordem! ...” - Hamlet

“ ... é o meu ofício e exercício andar pelo mundo endireitando tortos, desfazendo agravos” - D. Quixote)

Morreu em 28 de Abril de 2000.
Tinha nascido a 17 de Fevereiro de 1941.
Nome completo: José Alberto de Castro Fernandes Martins.
Para os Amigos, simplesmente o .
Purista do verbo e do enredo no dissertar da pena, concebia o jornalismo como uma arte e uma missão nobre.
Também a lança pode ser uma pena/também a pena pode ser chicote!”
Andarilho e contador de histórias vividas, passou em palavras escritas pelo Notícias da Figueira, Diário de Coimbra, Diário Popular, Jornal de Notícias, Diário de Lisboa, República, Opinião, Vértice, Mar Alto (de que foi co-fundador), Barca Nova (de que foi fundador e Director) e Linha do Oeste.
No associativismo passou pelo Ginásio Clube Figueirense e Sociedade Boa União Alhadense.
Lutador contra o regime deposto pelo 25 de Abril de 1974, teve ficha na PIDE.
Foi membro da Comissão Nacional do 3º. Congresso da Oposição Democrática que se realizou em 1969 em Aveiro.
Chegou a ser preso pela polícia política.
Com a sua morte, a Figueira perdeu uma parte do seu rosto.
Não a visível, mas a essencial.
Era crítico e exigente. Mas, ao mesmo tempo, bom, tolerante e solidário.
Seis anos depois da sua morte, quem manda na Figueira, a cidade que amou toda a vida, continua a ignorá-lo.

13 comentários:

Xaninho disse...

Numa sociedade em que o normal é viver de cócoras, claro que os homens com a coluna vertebral vertical tendem a ser ignorados.
O Zé nunca será esquecido pelos amigos e por outros da sua igualha, quer dizer, aqueles que também têm a coluna vertebral vertical.
Seis anos depois, resta a saudade, a dor de ter perdido um Grande Amigo.
Para ti, um abraço, Agostinho.

Zé dos percebos disse...

Agostinho se foi este o teu mestre a ele um muito obrigado...
É de louvar o trabalho do Agostinho ,e do seu sobrinho.
Referindo-me ao Agostinho:
Seria algo complicado este conseguir levar avante as suas intenções nesta freguesia devido ao numeroso rebanho que anda por esta margem...
Como tal é possível ... queremos OUTRA MARGEM, os meus parabéns aos dois por terem esta iniciativa.
Assim sendo Agostinho podes estar ciente de um coisa tu estas a fazer um excelente trabalho , este blog está a se a ponte de ligação (junta//povo...)
Agora existe uma certeza :
Os anos de silencio e de falta de esclarecimento ao povo acabaram graças a ti...
Continuem ...não iria ser em quatro reuniões que as coisas iriam mudar mas sim trabalhando dia a dia...
força...

Rogério Neves disse...

Que Saudade António. Ainda hoje tenho dificuldade em aceitar a sua partida

António Tavares disse...

Parabéns pelo teu blog. Mais uma vez dás provas do amor que tens pela tua terra e da tua paixão pela escrita e pela comunicação.
Obrigado por lembrares a figura do Zé Martins. Corajoso, honesto,coerente e escriba de fino recorte, o Zé VIVE na nossa memória. Bem o sabes.

Anónimo disse...

Verticalidade, coluna vertebral e as ultimas palavras que tive com o Zé podem ser divulgadas neste blog?
Se o tal XANDINHO é o mesmo que se refugia na ipocresia e no anarquismo, pode também ser aquele que diz que só é comunista nas alturas de conjuntura, porque na próxima reunião de sindicato vai ter que dizer o que anda a dizer cá fora. na sede própria é que se chamam os bois pelos nomes,nãoi é dizer umas coisas aos amigos e depois assumir outras. Vamos estar presentes na próxima reunião de sindicato e vamos ter coragem de uma vez por todas de nos assumir-mos, ou somos comunistas sempre e não comudistas e opurtunistas, ou seremos sempre anarcas!Apesar de ter sido chamado a este blog por amigo comum,peço desculpa ao sr. Agostinho mas acho opurtunismo destes para unicamente arrofes de putas, num tema que dá por nome de "MESTRE" é realmente de um mau estar sem gosto.
Por tudo o que tenho lido sobre o Senhor José Martins,não é mercedor de um comentário, que possamos chamar de uma pessoa com um grau de pertubração mental acentuada.
SITEI_ C.M

Barca Nova disse...

Gostaria de perceber a ideia do anónimo anterior mas por mais que tente não chego lá.
José Martins, além de toda a verticalidade que se lhe conheceu foi um democrata de eleição e repito MESTRE de muita coisa e muita gente. Diz o anónimo "Senhor José Martins,não é mercedor de um comentário, que possamos chamar de uma pessoa com um grau de pertubração mental acentuada." Vê-se logo que o senhor não conheceu o José Martins. Um comentário como que o senhor faz alvitrando "perturbação mental" a uma personalidade das mais lúcidas que se conheceram provam uma coisa: Ou está a falar do que não sabe; Ou está a falar por despeito; ou a sua diarreia mental não dá para mais.

El Xino disse...

Como sabes, não conheci o teu amigo Zé Martins.
No entanto, pelo que fui ouvindo dele e da sua maneira ÍNTEGRA de ser, quando o descrevias, aprendi a respeitá-lo.
Lamento que tenhas de te sujeitar à grosseria e ao miserabilismo mental do comentário proferido por um tal CITEI-CM.
Sei que não é aquele o espírio do teu BLOG.
Esquece o tal CITEI-CM e continua em frente.
Um abraço

Anónimo disse...

Amigo Agostinho,este blog não é, julgo eu para pessoas com problemas mentais, por isso, siga a dança porque o Zé merece muito mais.Vamos fazer com que ele não seja esquecido e a melhor forma é falar das coisas boas que ele nos deixou.Um abraço
ZÉ TAMBORIL

Anónimo disse...

El xino, não é citei-CM.
È SITEI, do verbo sitar.
CM, são as iniciais do meu nome.
Sitei CM

Barracuda mor disse...

CITEI - CM:
Ah santa ignorância.
Citar, por exemplo, carlos monteiro, é CITAR nunca sitar.
OK?

Anónimo disse...

A Frustração o alcool e a sanidade mental,junta ao mau caracter e má formação, só podem dar um resultado destes.È VERGONHOSO SEM COMENTÀRIOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
(resposta ao anónimo anterior)
CITEI-CM

Anónimo disse...

Afinal como é, CM?
É SITEI ou CITEI?

mario alberto disse...

Zé Martins, que dificuldade enorme, encontro para falar de Zé Martins, fui amigo, companheiro de luta, camarada, fui eu que o substitui no Jornal de Noticias. Mesmo com tanto convivo pessoal, é dificil falar co Zé. O Zé era procurado e procurava o amigo em situação dificil, para o apoiar. O Zé dentro do Ginasio era uma m´quina, que trabalhava sozinho porque ninguem tinha capacidade de o acompanhar. O Zé a escrever era unico, os seus escritos saiam com a prosa que todos a entendiam. O Zé politicamente era um perigo publico, os apoiantes e o sistema Salazarista, temiam-no, porque o Zé tinha a consciencia e era a consciencia do Povo, com quem partilhou sempre a sua luta, na defesa dos seus direitos. Falar do Zé não é isto, isto é somente lembrar o Zé, porque falar dele, vai ser dificil num escrito, descrever o Homem inteiro. Tive a sorte de ter a amizade do Zé